13
Nov 07

O retrato está pousado sobre a mesa. Lá fora, o sol toca as árvores do parque. São duas pessoas: a mãe e o filho, a lembrarem aquilo que foi. O tempo passa e leva com ele o passado. As memórias tornam-se difusas, dir-se-ia que só os retratos permitem que se saiba ter existido cada um desses rostos.

Levantou-se, olhou as árvores e lembrou:” Lembras-te de quando o teu pai se sentava no seu cadeirão, e observava muito atentamente esta árvore?

O filho emocionado exclamou:

-Se me lembro! Era o passatempo favorito do papá, olhar esta árvore e depois desenhá-la à sua maneira.

Continuou a mãe:

-E como era bonita a maneira de desenhar do teu pai.

Após alguns minutos de reflexão de ambas as partes, o filho levantou de novo a conversa:

-Mamã, lembras-te do grande sonho do papá?

-Sim filho, lembro-me perfeitamente que antes do teu pai…-Após uma lágrima ter percorrido o seu rosto, a mãe continuou:

-…antes do teu pai falecer, naquele trágico acidente, prometeu a si próprio que ía fazer uma exposição, com todas as telas que tinha pintado até a altura, lembro-me também que era seu desejo, homenagear alguns dos pintores que para ele eram importantes, tais como: Picasso, Salvador Dali e Leonardo Da Vinci.

O silêncio permaneceu de novo na sala de estar, naquela casa solitária. Passados alguns instantes o filho voltou a interromper o silêncio e exclamou:

-Acabei de ter uma ideia brilhante! E que tal concretizarmos o sonho do papá?

-Como assim!?

-Podíamos organizar a exposição que o pai tanto queria fazer.

-Isso é uma óptima ideia. - Afirmou a mãe, e continuou – Sabes filho! Ás vezes ponho-me a pensar como seria a minha vida sem ti. É que depois do que aconteceu ao teu pai, és tu quem me dá forças para continuar o meu caminho sem nunca baixar a cabeça.

O filho emocionado abraçou a mãe.

-Chega de lamechices, vamos pôr mãos ao trabalho, temos muita coisa para organizar. -Disse o filho limpando algumas lágrimas que lhe tinham fugido após o abraço.

3 Semanas depois…

-Mãe, estou tão nervoso. Será que está tudo como o pai queria, acho que aqueles quadros não estão lá muito bem organizados, se calhar aquela parede precisava de um pouco mais de cor, e ali, tem uma mancha no chão.

-Calma filho, é impressão tua, está tudo óptimo, os quadros estão muito bem organizados, as cores das paredes estão excelentes e não há manchas no chão, vai tudo correr bem.

No final da exposição todos os convidados se dirigiram ao organizador para lhe dar os parabéns, pois a exposição estava excelente. Fizeram também elogios ás telas pintadas pelo seu pai.

Após os convidados se retirarem, a mãe exclamou:

-Tenho a certeza que se o teu pai estivesse aqui, ficaria muito orgulhoso por ter um filho como tu! E não te esqueças, esteja ele onde estiver, está sempre a olhar por nós.


Novembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


subscrever feeds
gaveta a sete chaves :D
Procurar :D
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO